1001 palavras... Palavras para quê?

Pega-me... Arrasta-me... Leva-me contigo... Para sempre... Através do caminho da felicidade... Para esse cantinho só teu.. Chamado... Coração...

Name:
Location: Mértola, Alentejo, Portugal

Thursday, May 05, 2005

3ª casa

para além do PB, tenho um novo blog... provavelmente vai ser actualizado bem mais vezes que este, é apenas de opiniões sobre este mundo e o outro...
check it out at: www.imundomundo.blogspot.com

beijos

Tuesday, March 08, 2005

Até eu, que nem gosto de política...

Gosto muito de passear na net... é algo que me dá algum prazer, poder navegar à vontade por sites e mais sites, em especial por blogs... tenho portanto retido a minha atenção n'O acidental (para quem não sabe, http://oacidental.blogspot.com/ ), um blog dedicado ao que parece ao País, em especial à política, "dirigido" por alguém que me parece ser uma personalidade importante deste mundo mas que eu desconheço, bem como os seus próximos colaboradores... é contudo confangedor, pelo menos na minha opinião, que todos os posts la colocados apresentem uma conotação... digamos que negativa... mais que fazer a tão aclamada "política pela positiva" (onde é que eu ja ouvi isto??!!) parece ser muito mais útil a mui útil "política do bota-abaixo", desde que, claro, não sejamos nós que estejamos realmente no poder, já que aí o caso muda completamente de figura...
Na minha modesta opinião, acho triste... perguntava-me, à bem pouco tempo, porque é que os políticos têm tão má imagem junto do povo, junto dos jovens? Não conseguia encontrar resposta que achasse convincente... fala-se muito, no desporto, do "fair play"... mas será que este é único do mundo desportivo? Pergunto então onde está o fair play dos que perdem? Será que basta telefonar a dar os parabéns, aparecer na televisão numa conferência de imprensa e dizer que a vitória foi justa e que se assumem as consequências? Isso, parece-me, é o que todos os líderes fazem, contudo não é isso que me preocupa, mas sim o baixo nível de certos e determinados comentários que li...
Fala-se muito dos tempos de crise em que vivemos, fala-se que temos de remar todos para o mesmo lado... mas é só isso, fala-se pois como é fácil de constatar, ficamos pelo paleio... talvez por isso tanta descrença no futuro, tanta descrença nos políticos ou pretendentes a isso, tão pouca importância seja dada a artigos, análises e comentários políticos... diz-se que os jovens não se preocupam com o futuro do país, que não sabem nada de política e que só querem a despenalização das drogas leves ou do aborto... é fácil de encontrar justificação para isso, em dois pontos que julgo essenciais e que só não os vê quem não os quer ver: (1) a fraca "reputação" que os políticos têm junto de nós, graças a "polítiquinhas" baratas, tão ao estilo das revistas cor-de-rosa e (2) a pouca informação que é dada aos mais jovens sobre o que se diz serem "os verdadeiros problemas do País"... eu não quero dizer que a informação não esteja disponível, que não seja acessível a quem a procure, contudo também julgo ser verdade que esta informação pura e simplesmente não nos é administrada, seja de forma correcta ou incorrecta...
"Os jovens não têm capacidade", "são demasiado imaturos", "não têm responsabilidade suficiente", etc etc etc... é fácil de ver que com todas estas afirmações de quem é, real e inequivocamente, sábio ou dono da verdade absoluta, os jovens se desinteressem da vida política... sim, eu não sei o que é o orçamento de estado, julgo ser as contas sobre o que entra e sai dos cofres do estado, mas também nunca ninguém me deu essa informação ou me fez ver a sua importância... de que me serve preocupar com os "reais probelmas do País", se não só não sou digno de os conhecer, porque sou jovem e isso não é para ser tratado por jovens, como também, e mais uma vez porque sou jovem, não tenho capacidades para os resolver?
Eu posso ser jovem, e sou-o com muito orgulho, mas não raras vezes dou comigo a classificar de infantis certas e determinadas atitudes dos que se julgam superiores, por saberem o que é o orçamento de estado... porque a política me parece realmente uma luta de putos, todos à procura de um pacote de guloseimas colocado na última prateleira, em que vale tudo para deitar os outros abaixo para comer as gomas sozinho... é caso para dizer: CRESÇAM!!

Monday, February 21, 2005

The one I Love

The Rasmus - The one I love

"Haven't slept in a week
My bed has become my coffin
Cannot breath, cannot speak
My head's like a bomb, still waiting
Take my heart and take my soul
I don't need them anymore

The one I love
Is striking me down on my knees
The one I love
Drowning me in my dreams
The one I love
Over and over again
Dragging me under

Hypnotized by the night
Silently rising beside me
Emptiness, nothingness
Is burning a hole inside me
Take my faith and take my pride
I don't need them anymore

The one I love
Is striking me down on my knees
The one I love
Drowning me in my dreams
The one I love
Over and over again
Dragging me unde

This bed has become my chapel of stone
A garden of darkness to where I'm thrown
So take my life, I don't need it anymore"

Gosto muito de música, mas esta é daquelas que desde a primeira vez que ouvi, se tornou muito especial. Mas não me considero crítico de música e não é dela que vou falar, mas de ti, mais uma vez de ti... Muito se passou desde a última vez que aqui vim, muitas coisas mudaram ou desapareceram, outras continuaram iguais, como sempre, mas o amor que sinto por ti, esse aumentou... muito já te disse, mas sinto que não me consigo exprimir, muito já passámos juntos, muitíssimo ainda temos para passar, mas contudo já não consigo distinguir como era ser tares comigo...
É estranho este sentimento... é até mesmo um pouco confuso, um pouco "nublado", indefinido, mas é aí que reside a estranha beleza e o estranho significado do amor...
De resto, you're the one I love...

Tuesday, January 25, 2005

Não sei que pôr no título...

"Se o vento sopra sem sentido
As estrelas podem me guiar
Se eu não te tenho aqui comigo
Quando eu sonho eu posso encontrar

Por mais que eu tente lhe dizer
O quanto eu sinto por você
Como é possível não saber
Que eu te quero!

Não importa se estou sozinho
Eu não tenho como te esquecer
Vagando pelas ruas sem destino
Se me perco me encontro em você

Por mais que eu tente te dizer
O quanto eu penso em você
Como é possível não saber
Que eu te quero!"

É bonita a letra, parece-me inquestionável... a música também é bem gira... faz-me lembrar de ti, de como não há forma, mesmo que quisesse, de te esquecer, não há forma de passa um dia, uma hora, sm pensar em ti, não há forma de tentar esconder o que sinto cá dentro, cá bem dentro de mim, aquilo que tu me fazes sentir, tudo, tudo o que sou quando estou contigo, toda essa riqueza que trazes e me transforma no mais rico dos homens. no fundo, ensinaste-me a amar, a amar com toda a força que temos, a amar como deve realmente ser. Cresci, cresci muito desde que sorriste naquela noite, em casa dos teus tios, fizeste-me crescer e ver que amar é a melhor coisa do mundo, que a maior felicidade que se pode sentir é quando se olha nos olhos de quem se ama e se vê a felicidade, naqueles momentos em que não é preciso falar, mover, fazer qualquer coisa, nos momentos em que o amor se mostra, aparece e fica ali, a pairar no ar, a tranformar tudo à nossa volta, a transportar-nos para um mundinho só nosso e em quem mais ninguém pod eencontrar.
Porque, como diz o teu escritor preferido, só as pessoas que se amam conseguem estar um dia inteiro sem dizer qualquer palavra um ao outro, e mesmo assim saber o que o outro sente ou pensa. Porque o amor é tudo isto... tudo isto e muito, muito mais...
Amo-te

Thursday, January 20, 2005

Mundo de Amor

Antes de mais, peço-vos desculpa por não ter escrito à mais tempo... não tenho justificação para isso... :S
Calma... Olho à minha volta e a noite transpira paz, reina a acalmia dentro das quatro paredes mestras que formam a minha casa... mas a paz maior é a que sinto vinda de mim mesmo e não do exterior, a que transforma cada minuto em dia, cada dia em semana, permitindo assim aproveitar muito do que a vida tem para nos dar... e é tanta coisa... desde o nascer do sol até ao sorriso de quem amamos, talvez a maior liberdade quenos foi dada, amar sem qualquer barreira, seja ela espacial, temporal ou sexual... será que, e é o que a sociedade nos parece querer incutir, o amor entre homossexuais não é amor? será justo, correcto, condenar um casal de homossexuais por se amarem? ou não é o amor superior a todas essas barreiras e constrangimentos? é que se não é, então não estamos a falar realmente de amor, mas sim de um sentimento talvez de carinho, atracção, sei lá, pelo outro. Feliz de mim por te amar como amo, nunca fui tão feliz como o sou agora, mas será que se o sentisse por outro rapaz, deixaria de ser amor? Seria então o quê? Gostava que muitos dos Flinstones da nossa sociedade me conseguissem responder... e não me venham com histórias da carochinha, do Adão e Eva, Ying e Yang, equilibrio masculino - feminino porque um mundo mais desiquilibrado que o de hoje é muito difícil... Quem quer que tenha criado o mundo deve estar a pensar que conseguimos dar cabo dele, se já nem livres para amar somos... porque nada consegue vencer tantas e tão difíceis batalhas como o amor, nada nem ninguem consegue superar tantos obstáculos...
Eu amo o meu mundo, não o mundo em que vivemos...

Tuesday, December 21, 2004

Toranja - Lados Errados

"Neste infinito fim que nos alcançou
guardo uma lágrima vinda do fundo
guardo um sorriso virado para o mundo
guardo um sonho que nunca chegou

Na minha casa de paredes caídas
penduro espelhos cor de prata
guardo reflexos do canto que mata
guardo uma arca de rimas perdidas

Na praia deserta dos dias que passam
Falo ao mar de coisas que vi
Falo ao mar do que conheci...

No mundo onde tudo parece estar certo
guardo os defeitos que me atam ao chão
guardo muralhas feitas de cartão
guardo um olhar que parecia tão perto

Para o país do esquecer o nunca nascido
levo a espada e a armadura de ferro
levo o escudo e o cavalo negro
levo-te a ti... levo-te a ti para sempre comigo...

Na praia deserta dos dias que passam
Falo ao mar de coisas que senti
Falo ao mar do que nunca perdi.

Por trás do fim

Por trás do fim
Por trás de nós
Por trás de ti
Estamos só no que o dia quis deixar

Mais um tiro que marcou
Mais um grito que ficou
Põe a tempo a girar

Só queria estar bem aqui
Quando acabar vou querer ficar

Para quê ser mais alguém
Para quê fingir papéis
Se não vou viver de cor

Que é tão bom deixar andar
Deixar o tempo nos levar
Que eu não sei viver de cor...

Só queria estar bem aqui
Por acabar vou querer ficar

Já dançamos demais
Sorrimos demais
Vivemos demais
Agarrámos demais
Fugimos demais
Restou a saudade de ser... «demais»
demais,
demais,
demais..."

Para quem não sabe, o último espetáculo (sim, porque é muito mais que um concerto...) dos Toranja foi dia 19, na Aula Magna... e graças a ti, tive o prazer de lá estar... a todos vós vos garanto que foi o melhor concerto (Ok, Ok, eu faço-vos a vontade...) a que já assisti...
Mais uma vez, graças a ti... tem sido sempe graças a ti... ao contrário do primeiro verso, foi um sonho que, felizmente, acabou por chegar... porque sonhei um dia ser tão feliz como sou aqui contigo... mas, a pedido de uma leitora também de si especial, vou então mudar o assunto deste texto e "largar" por poucos minutos tudo o que sinto por ti...
Natal... Como ateu confessado, contínuo a não encontrar grandes motivos para esta quadra... janta-se com a família no dia 24, passa-se a meia-noite, abrem-se presentes, dão-se beijinhos e agradece-se... Não duvido que para os que O seguem, tudo isto tenha um significado especial, mas para mim... Mas outra questão se me coloca... Afinal, quem escreveu a bíblia foram... pessoas que não Deus... quem me garante a mim que não foi uma cambada de intrujões que resolveram escrever o que lhes parecia bem? Não quero ferir susceptibilidades, não é esse o meu obejctivo, no entanto... bem, whatever...
Passagem de ano... hoje ouvi uma opinião curiosa, que não deixa de ser verdadeira... foi algo do género: "para mim, a passagem de ano é apenas mais um motivo para tar com os amigos e beber uns balões"... realmente, se analisarmos friamente, é apenas mais um ano que se avizinha... o que tem de especial esta transição, esta entrada num ano novo? deseja-se um bom ano a pessoas que não queremos ver nem plas costas, fazem-se promessas que sabemos que não podemos cumprir... com que objectivo? realmente, é coisa que não consigo perceber... é giro tar com os amigos todos, mas será preciso uma desculpa como a passagem de ano ou o natal apra tarmos todos juntos? Será necessário o natal para se falar da amizade, fraternidade, ect., valores que deveriam ser os vigentes, que todos dizem ser os seus mas que, após o natal, se lançam em guerras desenfreadas por ninharias...
É, talvez, por isto que não consigo encarar o natal como uma epoca assim tão especial... soa-me a falsidade... realmente, os adultos estragaram tanta coisa...
Os adultos... o que é ser adulto? o que falta ao dito jovem para ser adulto? será que o jovem é um pré-adulto ou o adulto um pós-jovem? sinceramente não sei... mas também não me dou ao trabalho de pensar muito isso, deixo-os para os "intelectuais", para aqueles jovens que de terem tanto a mania que são adultos, conseguem não ser nem uma coisa nem outra... até parece, hoje em dia, que ser jovem é um crime, que vestir-se de maneira diferente é sinónimo de maluco, usar piercing sinónimo de drogado, vestir-se de negro sinónimo de frustrado... mas quem são voces para julgarem o que cada um sente? será que, por serem "maiores" se julgam capazes de julgar o que vai dentro de cada um de nós? tão cehios de tabús, de preconceitos rascas dignos de um antigo rei de Portugal...
Não sei, não tenho grandes temas para falar aqui... (a não ser o "tema proíbido"...LOL) não gosto de política, futebol não o considero grande tema para ser tratado aqui... sinto-me sem imaginação...
só mais uma coisa... AMO-TE...
(desculpem este texto tao desprovido de imaginação... :S)

Sunday, November 28, 2004

Lados errados. locais errados...sentimentos acertados

Toranja - Lados errados
"Largaram-me a mil metros do chão
Largaram-me porque me agarrei
numa alucinação de vida
que me enchia o coração
e que agora vejo perdida
num cair que já não sei

Largaram-me a mil metros do chão
Reparo o sol que se afasta no ar
Rasgo caminho onde o vento dormia
Adormeço sentidos no meu furacão
enquanto sol anuncia o dia
sinto o meu corpo, desamparado, deslizar...

Perdi-te do lado errado do coração
Eras tu o meu chão...

Enquanto caía a terra rachou
e eu via a queda ainda mais funda
Ao meu lado passava tudo o que passei
comigo a miragem que nada mudou
do voo rasante que nem começou
do tempo apressado que nem reparei

Sinto os meus gestos flutuar, devagar
no último segredo antes do ódio
À minha frente um filme de aves sem voz
e quando as toquei resolvi gostar
Quando as ouvi fiquei a amar
ter tentado subir ao cimo de nós

Amei-te do lado errado do coração
Eras tu o meu chão...

Não sei ao que chamam lados do coração
Mas és tu o meu chão..
.és tu o meu chão..."

É bonita a música, é certo, mas nem é pela múscia que aqui venho escrever... é pelo que sinto neste momento, sinto uma espécie de vazio preenchido, numa antítese nunca explicada, apenas sentida... tal como no título do post, são lados errados, locais errados, mas sentimentos acertados... locais errados porque, pela primeira vez, não te tenho fisicamente perto de mim... estás num local inalcançável por mim, mas são sentimentos acertados, estes que temos um pelo outro, que nos mantem juntos, por muito longe que os nossos seres corpo (obrigado Shadow..) possam estar... daí este vazio preenchido... nunca ninguém me deixou assim... mesmo sabendo que a tua ausência é efémera, que depressa vais estar novamente perto de mim, nunca me senti tão "só", tão inútil... parece que de repente, nada faz sentido... mas depois, reacendo tudo o que por ti sinto e "viajo" por entre memórias e sonhos, contigo como tema, contigo como ponto de partida e chegada... porque tu dás tudo à minha vida, porque tu... és tudo...
Troco o anel de dedo, toco na pulseira... recordo-me dos últimos momentos que tivemos juntos, só para nós 2, no aeroporto... pareceu que, de repente, o mundo todo se reuniu à nossa volta, e tudo fez um sentido puro... algo que só que se sente assim consegue ver... a pureza inerente ao que sinto por ti faz-me ter viagens alucinantes a mundos distantes, mundos aos quais pertences e me fazes pertencer, mundos que conheço agora e dos quais não quero nunca sair... porquê?, porque estou contigo, porque tu fazes parte, és esses mundos...
Que saudades... que saudades de sentir todo o perfume do teu toque, a suavidade dos teus lábios, a ternura ds teus olhos, o calor do teu corpo... algo que não posso ter até voltares, algo a que me habituei, algo que é tão bom, tão perfeito... e com o qual não vou poder viver nos próximos tempos... mais do que triste, sinto-me impotente...por não poder tar contigo nestes dias em que tanto necessitas da minha presença, em que sei que era o que mais querias... porque raio é que não me preveni a tempo, porque é que não fui contigo? pergunto-me isto a cada minuto que passo sem ti... como queria estar aí contigo... como era bom acordar estes dias sempre a teu lado... mas não posso, e como tal, à distância, vou sofrendo com o passar lento e inalterável dos minutos, num sofrimento latente mas tão forte, tão inexplicavelmente forte... ouvir a tua voz ao telemóvel dá-me asas e deixa-me voar, voar até voltar a cair na realidade dura, nua e crua... mas é nesta mesma realidade que te amo, é nesta realidade que vivo e é nesta realidade que tu és o mais importante da minha vida...
Até aqui, até à dois meses e uma semana, tinha-te amado com o lado errado do coração... agora amo-te com cada cécula, cada átomo do meu corpo...
Beijinhos (*)

Monday, November 22, 2004

Em especial, porque tu pediste...

Queria vir escrever aqui hoje, mas era mais tarde... mas como pediste, vim aqui escrever logo, bem cedo para que pudesses ver...
Nem sei que dizer, acho que já te disse tudo, acho que já te demonstrei tudo o que por ti sinto... as nossas conversas durante a noite, os sorrisos, as lágrimas, tudo o que partilhámos... não sei, parecem até algo de sobrehumano, algo de surreal, perfeito... gostava que tivesses aqui... agora... abraçada a mim... para sempre...
Como é que é possível? Como pôde alguem transformar a minha vida em algo tão...belo? Belo...tal como tu... mas menos, muito menos... tu és tudo, és sol e lua, dia e noite, és tudo o que sempre sonhei, tudo o que sempre tive mas que só agora reparei... foi, realmente, aquela viagem até Lx que me mostrou o que eu não queria ver, o infeliz que tu eras por não me puderes ter a meu lado... fez-me pensar, ou por outra, fez-me ver o que não queria ter vist oaté então... porque raramente o quis ver, e quando quis resultou, resultou em algo que foi maravilhoso... ou não te lembras da noite do baile? ou melhor, dos bailes? são apenas dois exemplos...
Depois, depois esta paz que sinto, esta calma, isto tudo tão lindo que tu me proporcionas... sentir o teu toque, a tua presença é algo extraordinário, algo capaz de me fazer realmente feliz, uma felicidade que parece espalhar-se a tudo à minha volta... vou ligar a música... que tal toranja? não há grupo que me faça lembrar mais de ti... parece que cada música foi feita para ti, foi inspirada em ti...
Tou a escrever e sinto que ainda não te disse nada... o que quero dizer é que te amo mais que tudo e que nunca, mas nunca, te quero perder...
És tudo... "largaram-me a mil metros do chão"...
Amo-te!!!
Beijinhos***

Monday, November 15, 2004

Guilty..

Não posso deixar de pensar que era uma prenda de anos linda!! Quase tão linda como quem ma queria proporcionar...Culpado... ou, neste caso específico, culpada! sim, tu!, tu sabes bem quem és, és a culpada por eu tar assim, por eu neste momento ser feliz como nunca fui até aqui, és a culpada por teres dado uma nova luz, um novo rumo à minha vida, rumo que tanto procurei e que, afinal, estava tão perto de mim, tão inacreditavelmente perto, tão perto o sentia já à muito tempo, mas que muitas vezes não o quis ver.
Porquê? Porque é que me mantive cego, estupidamente cego quando só eu não via o que sentia, quando só eu não quis ver o quanto era amado, o quão feliz era quando estava contigo e, essencialmente, o quão feliz tu eras comigo... tempos em que, mais uma vez, utilizei essa desculpa esfarrapada, esse véu que é a distância, essa metáfora tão utilizada, tão banalizada, mas tão eficaz. Já antes tinhas sido vítima dela, lembras-te? É claro que te lembras, como poderias esquecer... mas nesse caso, eram 50 Km, enquanto a "minha distância" eram 232...
Mas conseguirão 50, 232, 1001, ou até mesmo mais Km disfarçar, omitir, esconder o que um coração sente? Será possível que 2 horas de viagem, um País, um oceano consigam separar realmente este laço, esta força, tudo isto a que chamamos amor? Não, inequivocamente não! Quem gostar, quem amar (porque é muito diferente gostar de amar..) realmente não se deixa vencer por nada nem ninguém, quem ama é o mais poderoso dos seres, porque possui a mais poderosa das armas, uma arma invisível, mas tão forte que nos leva ao céu e ao inferno ao mesmo tempo, que nos faz rir e chorar no mesmo minuto, que nos faz viver a vida tão intensamente quanto posível e que, acima de tudo, e é por isso que tanto procuramos o amor, nos faz felizes...Felicidade... como andei enganado em relação a ela, como me julgava feliz sem ti, sem te ter a meu lado, sem acordar contigo a olhar para mim, sem o teu sorriso, esse sorriso que durante tanto tempo escondeste do mundo, esse sorriso que me cativa, esse sorriso que me diz que és feliz a meu lado, que me torna o mais feliz dos humanos... pergunto-me porquê... porquê eu, porque me calhou a mim em sorte? Porque me veio cair à mão semelhande riqueza? Considero-me não só o mais sortudo como o mais rico dos Homens, porque não tem preço esta felicidade, isto que sinto por ti...
Devem estar a perguntar-se... "Porque ainda não disseste que a amas? Porque ainda não te referiste em especial ao amor que vos une?"... são, realmente questões oportunas, mas que têm uma resposta bem mais fácil que aquela que esperam: simplesmente porque não é amor! Não é nem nunca será amor, é de certeza algo mais que isso que nos une... olhar-te nos olhos quando dizes que me amas, e sentir-te desapontada por não te conseguires exprimir melhor... nem tu, nem eu, nem quem tem o dom da palavra o conseguiria fazer, porque não há, é indiscritível esta sensação... que me faz tremer com o seu peso, com a responsabilidade de te manter feliz... de te fazer feliz como me fazes a mim...
Quero-te aqui... para sempre... quem me dera parar os ponteiros do tempo e ficar para sempre abraçado a ti, sentir-te junto a mim e desejar que o mundo acabe naquele momento... na perfeição de um simples momento... na perfeição de uma simples pessoa... TU!!!!! AMO-TE!!

Wednesday, November 10, 2004

Ao som de Toranja...

... venho para aqui pôr mais umas linhas, que espero contribuam para o aliviar e descomprimir desta vida, deste dia-a-dia que nos leva e tenta arrastar para algo que não somos... hoje em dia, temos tempo e disposiçõ para tudo, para tudo menos para amar, temos vontade de tudo menos de nos esforçarmos por atingir aquilo que gostamos, de lutar por quilo que realmente queremos, por aquilo que dá prazer e gratificação pessoal... e nem precisa de ser algo de extraordinário, basta pensar no sem número de vezes damos por nós deitados, a ver a vida passar lá fora e que, por pura perguiça, deixmos passar para ficarmos no conforto... será que esse conforto é melhor que o abraço das pessoas que gostamos? talvez por tudo isto aprecie tanto o que fizeste por mim, o quanto lutaste, sofreste, aguentaste, superaste só para hoje estares comigo... pergunto-te se valeu a pena, e os teus olhos respondem por si só... quem me dera ser como tu, quem me dera ter toda essa força que tu tens, mesmo que não a encontres, quem me dera ter a tua presença de espírito, toda essa capacidade para aguentar e superar tudo... porque tu, só tu e mais ninguém que conheço, superariam o que superaste, aguentariam o que aguentaste e, no fim, sorririam da forma que tu sorris, fazendo e transformando a minha vida em algo...indiscritível, algo que por ser tão bom torna a vida num sonho, e os sonhos em realidades, torna cada segundo passado contigo um segundo precioso, de ouro, um segundo que passou mas que não será esquecido, que deixou atrás de si uma marca de felicidade, como um cometa, uma estrela cadente...
Contigo, não tenho medos, não tenho receios, só contigo sou eu mesmo, só a teu lado me sinto bem, só por tu tares lá... acordar e olhar o céu a pensar em ti, adormecer contigo no pensamento, sonhar contigo, porque tu preenches-me, dás-me vida e força onde elas não existem, fazes-me saltar barreiras outrora impossíveis, com natural à-vontade e sorriso nos lábios... mas melhor que tudo isto é, sem dúvida, ir para a minha caminha e pensar que és feliz, pensar que te faço feliz, por tarmos os 2 juntos, por vivermos cada dia dentro um do outro; saber que és, finalmente, feliz junto de alguém, e que esse alguém sou eu, a pessoa por quem tanto lutaste e por quem tudo superaste, dá-me vontade de sair de casa e gritar, gritar de felicidade e contagiar essa felicidade a tudo e todos. Há uma música, brasileira, chamada, salvo erro, "pra ver a banda passar"... de certeza que conheces... identifico-te com essa música pois, tal como a banda, tu espalhas felicidade em teu redor, e quando te perdemos no horizonte, voltamos às nossas vidas tristes, infelizes. "Vem rastejar, que te faz bem"... de certeza que conheces a música, por este primeiro verso, uma música que explica muita coisa, nesta antítese que é o amor, pois damos tudo, sacrificamos tudo, rastejamos durante quilómetros, mas mesmo assim gostamos, mas mesmo assim sentimo-nos bem... a que se deve esta felicidade? afinal, deve ser esta mesma felicidade digamos extrema, inqualificável, que distingue o amor de todos os outros sentimenots, deve ser este estado que torna o amor único e incomparável, indescritível, sem definição possível...
Recordo agora quando te conheci, a rapariga pequenina e insegura, incompreendida, hoje olho para ti e vejo alguém forte, alguém que ninguém consegue derrotar nesta luta pela felicidade... e dou graças por ser eu, por ter sido o escolhido para te fazer feliz... só espero nunca te desiludir, nunca, porque não iria aguentar, seria forte demais para um simples mortal... um mortal que tem a seu lado um ser do outro mundo, uma espécie de anjo, mas mais do que isso, elevado a mito... um dia, quando tu e eu pisarmos juntos outro chão que não a Terra, vão lembrar-te como "a rapariga que conseguiu ser feliz", vão recordar-te como alguém que, contra tudo e contra todos, lutou, lutou até ao fim contra este mundo filho da puta que vivemos dia-a-dia, que nos consome, nos roe até à morte...vão recordar-te como uma vencedora, na maior maratona de todas... se o teu ídolo literário te conhecesse, criaria um livro apenas para te descrever, construiria uma história à volta de tudo o que já fizeste, de tudo o que venceste... e seria, com certeza, o seu livro mais vendido, daria, talvez, um filme, mas seria, acima de tudo, a tua história, a história da pessoa que me faz feliz... e a quem dedico todos os minutos desta minha vida...
seria um livro sobre uma pessoa... uma única pessoa... que é só e apenas aquilo que todos desejamos ser...
Beijinho

Monday, November 08, 2004

Apenas um começo...

Ora bem, a pedido de uma pessoa especial, vou então passar a guardar todas e quaisquer palavrasque aqui escrever... vou criar um ficheiro do Word com os textos que aqui puser e posteriores comentários... se algum dia alguém o quiser, pode editar um livro... e assim, fica a faltar apenas plantar uma árvore...
Passando agora a "coisas sérias", foi mais um fim de semana que passou, mais dois dias em Mértola... Nada de extraordinário neste fim de semana, a não ser que, ao chegar a Lisboa, e mais precisamente aqui ao computador, me deu uma enorme vontade de aparecer por aqui e escrever qualquer coisa... não que tenha algo em especial para dizer...
Gostava que tivesses aqui... sinto que começo a adoecer e nada melhor que o aconchego do teu abraço, a suavidade do teu toque... nada melhor que a tua presença, o teu sorriso... simplesmente tu, aquilo que és, e claro, aquilo que eu sou quando estou contigo... sinto-me realmente bem contigo, desde que nos conhecemos, e já la vai algum tempinho, tive a certeza que nos iriamos dar muito bem... se reparares bem, nunca discutimos, nunca nos chateamos, nunca mandámos bocas foleiras um ao outro, no fundo, fomos construindo aos poucos uma relação que hoje se afigura prometedora... talvez mais que uma promesa, mais que uma esperança, uma realidade, mais do que uma utopia, mais do que um sonho, um facto, algo inquestionável, inegável e, essencialmente, inqualificável... tal como tu... escasseiam, ou como disse alguem na televisão, "rareiam" adjectivos, palavras que te possa dizer... não paro de pensar em ti, de te imaginar aqui a meu lado... o que custa realmente é saber que estás tão perto e tão longe ao mesmo tempo, saber que se calhar podia mas não estou contigo... cada hora, minuto, segundo passado contigo valem ouro, e é essa a maior riqueza que sinto, a maior riqueza do mundo, algo que me faz feliz... muito feliz... tudo porque te tenho a meu lado, te tenho e trago comigo, sempre e para onde quer que vá...
podia perder aqui a noite, podia continuar a dizer muita coisa, mas tu ja sabes, e o que é repetido perde o valor... valor que tu nunca perderás, valor que muitas pessoas não te deram, valor que tu tens... que eu sei que tu tens... que mais ninguém tem...
Beijinho

Tuesday, November 02, 2004

Toranja - Fogo e noite

Epá, o que é certo é que os Toranja não param de me surpreender... depos da "carta", o que me dizem deste "fogo e noite"??

"Aconteceu...
e por me teres feito cego
recordo o sabor da tua pele
e o calor de uma tela
que pintámos sem pensar.
Ninguém perdeu,
e enquanto o ar foi escuro
despidos de passados
talvez de lados errados
conseguiste me encontrar.

Foi dança
foram corpos de aço
entre trastes de guitarras
que esqueceram amarras
e se amaram sem mostrar.
Foi fogo
que nos encontrou sozinhos
queimou a noite em volta
presos entre chama à solta
presos feitos para soltar...

Estava escrito
E o mundo só quis virar
a página que um dia se fez pesada

E o suor
que escorria no arno calor dos teus lábios
inocentes mas sábios...
no segredo do luar.
Não vai acaba r
Vamos ser sempre paixão
Vamos ter sempre o olhar
ao nível de ninguém
Dei-te mais...! Valeu a pena voar...

Estava escrito
E a noite veio acordar
a guerra de sentidos travada num céu

Nem por um segundo largo a mão
da perfeição do teu desenho
e do teu gesto no meu...
foi como um sopro estranho......
e aconteceu...

És fogo em mim,
És noite em mim.
És fogo em mim."

Espero que gostes..ups.. que gostem...tanto como eu...se a letra é bonita, ouçam a música...
um PS para a just_a_girl, é em parte o que dizes nos teus comments que muitas vezes me faz vir aqui...
Beijinhos (*)

Friday, October 29, 2004

É tão bom andar a passear pela net a ouvir música... Tá um péssimo tempo lá fora, em que só aptece mesmo é ficar em casa debaixo dos cobertores, no entanto, algo de paranormal continua a atrair-me para está página, para estes textos...
Nem sei que dizer, sei apenas que sinto tanta coisa mal lá fora... mesmo o tempo, a chuva, são males menores e ínfimos quando comparados a tudo o que nos rodeia... uma sociedade medieval, que por cada passo à frente dá dois atrás, sociedade essa que se diz virada para o futuro mas que continua a defender ideias da tanga do tempo dos afonsinhos... se querem mesmo tornar Portugal grande, tentem então conquistar alguma coisinha no futuro e não viver das conquistas e descobertas com alguns séculos...
Deixemo-nos então de politiquices... "e hoje apenas isso me faz acreditar que eu vou chegar contigo onde só chega quem não tem medo de naufragar"... eu quero chegar lá, pk eu não tenho medo de naufragar, não posso ter esse medo, não podemos ter esse medo, temos cada vez mais de acreditar no que realmente sentimos e não naquilo que satisfaria o ideal cada vez mais banal e fora de uso do politicamente correcto, daquilo que ficaria bonito aos olhos das outras pessoas... porque é preciso correr riscos, é preciso lutar contra quem vier, ir buscar forças onde elas não existem, e no fim, chegar ao pé dessa pessoa sempe com um sorriso nos lábios, por mais de rastos que estejamos... porque essa pessoa por si só é um excelente motivo para sorrir, um motivo mais que suficiente para continuarmos esta luta, talvez inglória, mas certamente necessária... não posso, não podemos evitar batalhas pela possibilidade de perder essa batalha, porque senão mais vale ficar em casa o dia todo, faça chuva ou sol, a comer batatas fritas de pacote e a ver o sic 10 horas... por muito que nos convenha ou que acreditemos que quando os outros estão bem, nós também estamos, temos de ser um pouco mais "egoístas", sem descurar essa preodupação e amor pelos outros, convém também preocuparmo-nos e termos algum amor próprio, porque é afinal a nossa felicidade que está em causa...
Já fiz muitos posts sobre a felicidade... não queria fazer mais um... sinto que mutio do que disse até aqui não tem sentido, mas também não tou a ter cuidados especiais com a linguagem, tou apenas a deixar sair palavras, ideias ou sentimentos... gostava que tivesses aqui... sinto-me só, sinto que contigo existem mundos que ainda não exploramos, existe algo que só quem ama descobre, que só quem sorri na tristeza consegue descobrir... porque é se calhar essa a mais forte e rara capacidade que tens, consegues-me fazer sorrir, sempre... sempre... já tivemos alguma vez juntos que eu não fosse capaz de sorrir? duvido... tudo porque tu não deixas, não consigo sentir-me infeliz a teu lado... "a vida é tão diferente daquilo que sonhamos", na voz de Miguel Gameiro... tu tens esse dom... transformas a minha vida num sonho e os meus sonhos em vidas... vidas que a teu lado vou vivendo, diariamente, cada dia mais intensamente, cada dia mais profundamente... vidas que só contigo fazem sentido... e então, os primeiros acordes de uma música que sei que adoras... away from the sun... é linda não é? faz-me sentir perto de ti, era capaz de ficar a noite toda a ouvir a música, porque me lembra de ti, me faz sentir como se estivesses realmente aqui a meu lado...
Tu levas-me para o lado escuro da lua e fazes-me brilhar... cada toque teu, assemelha-se àquilo que deve ser o toque das asas de um anjo, a tua pele, voz, olhar... e por aí fora... simplesmente tu... por seres quem és, por seres como és, és aquilo que todos procuram e poucos encontram... e eu tive a sorte de te encontrar, um dia, meramente por acaso, por puro acaso mesmo, decisões de ultima hora assim o proporcionaram... e hoje, és mais que parte da minha vida, deixaste de fazer parte dela, para ela fazer parte de ti... só tu...
queria-te aqui... adormecer abraço a ti... e acordar a teu lado...
vou ficar por aqui, já são horinhas de ir dormir, mesmo sem ti aqui, tenho de ir dormir...
Beijinhos (*)

Monday, October 25, 2004

Faculdade..trabalhos...etc

Pois é amigos, é sempre bom saber que apesar de não devidamente actualizado, há sempre pessoas que não deixam de vir aqui comentar...a todos voces, assíduos "leitores", o meu super obrigado...
Não é por falta de vontade, acreditem... quem entrou neste novo mundo de universitário já tomou de certeza consciência que apesar de tudo, é muito mais trabalhoso que o secundário... mas desculpas á parte, cá vai mais uma "publicação":
Foi preciso tanto trempo... tantas voltas que o mundo deu...mas como disseste, foi preciso que passasse esse tempo todo...só te vai valorizar, só me vai valorizar, só nos vai valorizar...
Desde a ovibeja '02 até hoje, muita coisa passou, mas desde sempre, desque que cáentraste, nunca mais saiste...
Pra ti, em especial, uma música, que sei que tu gostas

Fingertips - How do you know me

I was living my life
I was living on my own
then i felt something weird
I lost my control
there's a strange feeling here
and there's nothing to hold
but then i felt you
it was something like...yeah

i called you special golden rope
'cause there you are when i'm lonely
i really breath the air you breath
oh,you get me
i'm walking slowly as i'm thinking that we...
we are two bodies for one unique soul

how do you know me?but i'll never know me like you do

when i'm locked in my room
i get free in your world
oh,i'm lost in your doom
yeah,you made the change
there are bits of you stuck all over me
i get closer to youi get completely free

i'm crazy,alone
but i hear your smile
i see nobody
but you know my eyes
living with me was my sad surprise
we are both too depressive but we'll see...our own sun rise

how do you know me?
but i'll never know me like you do...

Eu sei que gostas desta música... para vocês todos, espero que também gostem...

Beijinhos